sábado, 25 de junho de 2011

A.C. D.C. no meu caminho!

O que acontece nesse intervalo A.C.D.C.? Quem poderá responder!? Os pais não respondem nada além do que sabem...vez em quando inventam uma bela estória pra se livrar da nossa insistência. Então um dia descobrimos os professores... seres neutros treinados para perguntas! Talvez eles saibam! Enfim!!!Mina de ouro que recria nos seres curiosos a esperança de respostas. Mas...nem se empolgue..não se iluda... aí também os recursos serão limitados...pra compensar sua frustração, vão empurrar a responsabilidade para o dicionário...e se você demonstrar perseverança, vão ensinar a pegar carona nos métodos de pesquisa...você vai encontrar fontes de conhecimento...divergência de opiniões...controvérsias nos diversos pensamentos sobre as mesmas coisas...aí parceiro...você começa a sacar que alguns assuntos esbarram num desacordo sem fim e causam discórdias tão robustas que são capazes de romper os elos...  o mundo se estende e se divide...Ciência ou religião!? Alguma deve dar a explicação! A ciência ensaia o entendimento e as crenças confortam pretendendo nos proteger do incompreendido com seus dogmas... ou decidimos acreditar naquilo, ou desistimos de acreditar em qualquer coisa ou então decidimos viver questionando o mistério. Afinal, que influências nos convencem? Será que respeito o pensamento contrário? Ou será que empurro na goela do outro o que me move? Bom...o fato é que, de onde estou, como vivi e quem encontrei pelo caminho, nada disso consegue aquietar minha mente apesar de acalentar meu coração. Eu aqui, nas minhas “escrivaninhações”...sem saber exatamente o que me reserva a real mudança entre A.C. D.C...é...não adianta brincar de buscar a origem das coisas...nem muito menos o porquê de estar aqui grudada nessa cadeira. Olha só...não tive momentos de revolta contra o mundo ou contra nada por causa disso. Afinal, quem tem a ver com isso!? O sol continua nascendo e a vida rolando. “A dor é minha, só, não é de mais ninguém”! Ninguém tem culpa, já concordamos com isso. Agora...se o fato de me tornar cadeirante tiver um propósito, faço aqui meu desabafo sobre o que definitivamente não vou aprender, porque não é novidade...começando por minha queda... eu nunca sequer consegui assistir a videocassetadas... sério... o que uma queda tem de engraçado!!? Pra mim é uma tentativa mal sucedida para enganar o constrangimento (de quem vê ou de quem cai!?). Outra...sempre fui sensível a todos aqueles apelos citados no post sobre o trato com pessoas com necessidades especiais, cadeirantes especificamente. Mais uma...tive um professor de educação e motricidade que era cadeirante (Ironia nº4?) por ter adquirido uma bactéria na medula em uma missão voluntária na África. Esse cara me fez pensar a deficiência de uma forma diferente. E por último..anos depois, já sem ele, na minha dissertação, desenvolvi o estudo sobre o efeito do exercício físico em cadeira de rodas em um parâmetro glicêmico (Ironia nº 5?). Portanto, não houve nada de extraordinariamente desconhecido nessa empreitada...não tive que descobrir nada em relação a esse quadro específico como muitos podem imaginar. Que fique bem claro, não é o caso, bem ao contrário. Acho que o mistério está em outra instância que ainda não descobri... Afinal...o que vai acontecer A.C.D.C.? A propósito...a título de esclarecimento...Antes da Cadeira e Depois da Cadeira!!!!!

6 comentários:

  1. Kal, acompanho vc por aqui e sempre que leio os textos me emociono e ao mesmo tempo me apaixono pela sua expressão escrita. Já pensou em escrever um livro?
    Penso em vc todos os dias e tb já aprendi mto com o seu estado atual. Tenho certeza que tudo isso logo ira passar. Saudades amiga e mtos beijos de rápidas melhoras

    ResponderExcluir
  2. É... minha cara amiga... com certeza o que aconteceu não foi pra te mostrar como ser sensível a deficientes ou ao próximo, nem a deixar de rir de desgraças alheias, nem a aprender mais sobre o assunto.
    Deus tem seus propósitos sim, mas reflitamos um pouco...
    1 - Será que saberias que eras tão amada?
    2 - Será que sabias por quem eras amada?
    3 - Será que sabias que tinha o dom da escrita?
    4 - Será que tuas postagens não ajudaram a melhorar a vida de muitas pessoas?
    5 - Será que não és uma luz no fim do túnel de muitos amigos e/ou anônimos?

    Com certeza você já ouviu que "Deus escreve certo por linhas tortas".

    Tem uma frase que sempre me inspirou... até antes de conhecê-la e acho que parece com você.
    "Ou eu encontro um caminho ou eu o faço" (Philip Sidney).

    ResponderExcluir
  3. Não tava entendendo nada no comeco achando que A.C.D.C era a banda! rs... Mas gostei muito do texto, como de todos outros.
    Beijos e saudades.
    Margot

    ResponderExcluir
  4. Gi: saudades de vc tb. Não pensei em escrever um livro, isso é pra quem ter alguma veia. Eu só me conto pra dividir os "achados" dessa nova situação. Que bom que você passa por aqui. Bjo
    Hugo: Então Hugo...linda a frase que te inspira. De fato algumas respostas as suas perguntas eu já conhecia, outras não e outras eu pensava que sabia. Essa linha torta nunca me foi tão reta, você tem razão.

    ResponderExcluir
  5. Acredite, falei do livro e da descoberta científica antes de lêr esse tópico e os comentários."Nós bruxas temos conexões que nem percebemos", ou "eu falo mesmo muita besteira", qual título você prefere?

    ResponderExcluir
  6. Got: pois é, o rock só vai vir depois!
    Anônima que eu conheço: Deixa ser um blog mesmo! rs

    ResponderExcluir